As “sessões abertas” são realmente gratuitas?